29/04/2014
A gênese do crescimento da Raça Jersey

Pela décima quarta vez em 15 anos, a Associação Americana de Criadores de Animais (NAAB - na sigla em inglês) registrou um novo recorde para comercializações totais de Sêmen Jersey: 4.331.433 de unidades em 2013, um aumento de 5,9% em relação ao ano anterior. O impulsionador, como de costume, foram as vendas internas, que cresceram 9,6% e terminaram o ano em 2.775.688 unidades. Assim, como fez em 2012, a participação de mercado da Raça Jersey aumentou mais 1,2% e totaliza agora 12%. Há quinze anos, esta participação era de 5,4% no mercado americano.

O que explica o fato de, em um curto espaço de 15 anos, as vendas internas de sêmen Jersey aumentarem em dois milhões de unidades desde 1999? Uma vez que a medida das vendas nos Estados Unidos são consideradas um indicador importante do crescimento da raça Jersey, é fundamental se entender quais são os fatores que contribuem para isto, a fim de que sua importância potencial no futuro possa ser avaliada.

Não se deve esquecer a Inseminação Artificial em si. Ela mudou sua imagem de uma indústria madura para se tornar um setor de crescimento sólido na negócio de laticínios ao longo dos últimos 15 anos. Vendas domésticas de sêmen de gado de leite são 70% maior agora do que eram em 1999. Porquê? Rebanhos se consolidaram e cresceram; a gestão da reprodução tornou-se mais sofisticada e intensiva; a Inseminação Artificial continua a substituir a monta natural; e o advento do sêmen sexado também fez o bolo da IA crescer.

Mas as vendas de Jersey não aumentaram só 70% em 15 anos, eles cresceram 278%. O que explica isto? 

Produtividade, por exemplo. Os dados de produção do NDHI mostram que a vaca Jersey, nos Estados Unidos, tem uma lactação média de 21.072 libras (9.558 Kg) em uma base de energia corrigida para gordura e proteína. E isto é obtido usando menos comida, menos água e menos energia de combustíveis fósseis.

Por outro lado, o que a Vaca Jersey é. Maturidade precoce reduz o investimento do nascimento até a produção.Vantagens de fertilidade resultam em partos mais freqüentes para, enfim, uma vida produtiva mais longa do rebanho. E, por si só, a vantagem da facilidade de parto do Jersey vendeu muito sêmen Jersey.

Além disto, a utilização do leite produzido nos EUA. Os americanos, de maneira mais freqüente, "comem" seu leite ao invés de bebê-lo. Os 15,5% da produção americana de leite exportada em 2013 deixou o país, em grande parte, como leite em pó, queijos, produtos de soro de leite e outros ingredientes. Estes são os mercados para os quais a maioria dos produtores de leite estão produzindo. A vaca que produz o leite que melhor serve a estes mercados é a vaca Jersey.

O fator que sustenta tudo isto acima é como o leite americano é precificado. Quinze anos atrás, em 31 de março de 1999, houve a decisão final com a implementação dos preços de múltiplos componentes para 85% da produção de leite regulada pelo Governo Americano a partir de 1º de janeiro de 2000.

Por tudo isso, a Raça Jersey faz uma fazenda de gado de leite operar melhor.Preços equitativos dos componentes mais valiosos do leite tem sido o pivô do crescimento da raça Jersey nos últimos 15 anos. À medida que avançamos, enquanto vamos desenvolvendo as vantagens da Vaca Jersey em produtividade, tamanho do corpo, fertilidade e longevidade, também devemos certificar-se que 100% dos produtores de Leite Jersey recebam um preço justo por aquilo que produzem.

Fonte: JERSEY JOURNAL - ABRIL/14



Página Inicial | Mais Artigos


Fazenda: Rod. Loanda ao Trevo de Nova Londrina, Km 4,5 / Loanda - PR
Correspondência: Caixa Postal 73 / CEP: 87.900-000 / Loanda - PR
Fone: 044 9149-5453 (Vivo) ou 044 8864-0273 (Claro)
Email: marcelo@fazendaipiranga.com.br / MSN: ipiranga01@hotmail.com